Cine-teatro Fróes da Cruz

O primeiro cinema do qual temos notícia em Maricá foi chamado de Cine Teatro Fróes da Cruz. Os relatos que aqui compartilhamos provém de conversas entre a historiadora Maria da Penha e o bisneto de Macedo Soares, figura influente e presente na inauguração do cinema. Dr. Luis Carlos Fróes da Cruz, pai do famoso ator niteroiense Leopoldo Froes da Cruz, tinha relações estreitas com políticos influentes de Maricá, dentre eles estavam os juristas Joaquim Antônio de Macedo Soares e Antônio Augusto Ribeiro de Almeida que aconselharam Fróes, a construir uma casa de espetáculos em Maricá. O espaço localizava-se na atual Rua Ribeiro de Almeida, aparentemente entre os números 140 e 131, no qual recentemente foi a Casa da Empada e a sede da Unimed e hoje um terreno vazio com escombros. Penha afirma que após a reforma de um “casarão grande, com muito mato em volta”, Dr. Luis Carlos Fróes da Cruz, em conjunto com pessoas influentes de Maricá, teria inaugurado o espaço em 1899 e funcionou até os anos de 1920.

Neste período de inauguração do Cine-Teatro Leopoldo Froes da Cruz, era costumeiro trupes teatrais e de atrações de variedades percorrerem as vilas e cidades do interior do Brasil. A Estrada de Ferro de Maricá funcionava como suporte para estas caravanas artísticas e a novidade do cinematógrafo, que chegou ao Rio de Janeiro em 1896, estava dentro das atrações que viajavam para o interior. De acordo com Rafael de Luna Freire, em Niterói, entre os anos de 1897 e 1907 só existiram “apresentações itinerantes” do cinematógrafo que seguiam posteriormente para cidades próximas. Neste sentido, supomos que Maricá, com sua ligação férrea que terminava no bairro de Neves, fronteiriço com Niterói, pode ter recebido alguma apresentação desses primeiros exibidores itinerantes. Sendo assim, acreditamos que o Cine Teatro Leopoldo Fróes da Cruz ainda não tinha as características do que consideramos cinema hoje em dia e sim a de uma casa de espetáculos de variedades, recebendo diversas apresentações itinerantes com diferentes atrações.

Nesta primeira fase da pesquisa, não conseguimos encontrar fotografias, reportagens ou documentos que comprovem o local exato e as datas de funcionamento do primeiro cinema da cidade. Em entrevista com Luiz Carlos Bittencourt (Carinha) e Pedro Mendonça Pereira, descobrimos que o Cine-Teatro Froes da Cruz funcionava no mesmo lugar do antigo comércio do Sr. Alvinho, avô de Carinha. Pedro recorda que a sua primeira ida ao cinema foi aos três anos de idade e que contou com o auxílio de uma empregada da família para entrar escondido. Nesta ocasião lembra com vividez que a exibição foi de um filme com “umas moscas andando na tela. Achei que era um monstro. Tinha três anos, era gigante para mim”. O primeiro contato com a projeção gerou um grande espanto e sua retirada imediata da sala. Ele pondera também que neste cinema foram exibidos filmes de Charlie Chaplin e Irmãos Marx. O cinema sonoro surge em 1927 nos Estados Unidos e chega ao Brasil em 1929, a nova tecnologia que permitia o sincronismo de imagem e som sistematizava uma prática que até então era realizada de forma improvisada através de vitrolas, dublagens ao vivo e orquestras. Em Maricá, Pedro Pereira relata que ouviu, em sua infância, que as exibições contavam com a participação da banda da cidade nas apresentações. Ao comparar com o espaço do Cine Maricá, Pedro  sugere que o primeiro cinema devia comportar cerca de 150 lugares.

Mais um ponto curioso desta história está presente no livro do historiador Nilton Cezar Martins Brum, em sua obra o autor revela que durante um período o primeiro cinema foi propriedade do cinema, Dr. Euclides Silva e a Professora Cacilda Teixeira Carvalho Silva programavam filmes e espetáculos teatrais que contavam com a participação de alunos do Colégio Estadual Elisiário Matta. De acordo com o depoimento da Sra Maria Madalena Rangel da Costa, presente na obra de Brum, em dia de apresentação, a Professora Cacilda Teixeira percorria o centro da cidade batendo palmas e gritando “Vai começar o espetáculo”.

Na busca por uma confirmação do exato local do primeiro cinema da cidade, entrevistamos o Sr. Milton Bittencourt que falou sobre o antigo comércio do seu pai Sr. Alvinho, também localizado na rua Ribeiro de Almeida, construído na mesma quadra do antigo Cinema Froes da Cruz. O espaço onde funcionou o cinema possuía piso inclinado, palco e um camarim na parte de baixo. Milton relembra que não teve muito contato com o barracão porque naquela localidade algumas construções antigas foram derrubadas e a área foi loteada para a construção de novos prédios. “O prédio de papai tinha seis portas de frente e ficava ali aonde foi a casa da empada, ali ao lado que tinha este prédio, mas quando papai construiu as casinhas dele já não existia este prédio não”.

*Esta pesquisa foi realizada a partir de entrevistas, matérias de jornais e pesquisa bibliográfica que compuseram um primeiro conjunto de informações expostas aqui. Caso queira contribuir com sugestões, novos dados ou lembranças que acrescentem ou retifiquem algum dado, entre em contato por aqui. 

Comentários no Facebook